Flavia Ward/ dezembro 19, 2017/ Filmes, Reviews/ 0 comments

O filme islandês, de Grímur Hákonarson, é simplesmente maravilhoso.

Eu não sou sabida de filmes, nem sei escrever revisão desses. O que eu gosto mesmo é de uma boa história.

Bom, o nome original do filme é Rams, que significa Carneiros (em inglês). Tem nada de ovelha negra. Oh mania de querer mudar!

A história é sobre dois irmãos que não se falam a muitos e muitos anos, apesar de morarem na mesma fazenda, um em cada casa. São fazendeiros criadores de ovinos (carneiros e ovelhas) na área rural da Islândia. (olha ela aqui no mapa… essa roxinha aqui do lado esquerdo perto do polo Norte)bc6d45bf-caf9-4b31-8cf6-17e57e2fbcd1

Bom, o filme começa com um concurso para escolher o melhor carneiro da localidade. Uma festa para a cidadezinha. E muito prestígio para os vencedores.

O irmão que não ganhou o concurso, descobre que o carneiro campeão, pertencente ao seu irmão, está com Scrapie. E aí que tudo começa!

Scrapie é uma doença neurodegenerativa que acomete principalmente ovinos. Doença neurodegenerativa é uma doença que vai destruindo suas células nervosas. Não tem tratamento. A política pública para essas situações é exterminar ou seja, MATAR todos os animais envolvidos na área de ocorrência da doença.

E essa é a parte do filme que me capturou. Que mostrou exatamente como essa situação de um surto dessas doenças pode acabar com um localidade, com famílias, com indivíduos. Imagina só: Um vilarejo que a base economica é a criação de carneiros tendo que sacrificar cada animalzinho desses.

“Ah, mais o estado reembolsa os prejuízos. Ainda mais se for na Islândia” – Sim, meu jovem. O Estado repoem o prejuízo. Mas peralá. As coisas não são simples assim.

Os produtores rurais, além de dependerem economicamente dessas criações, também tem um elo emocional  com esses animais. O filme retrata isso de uma forma primorosa e muito delicada, envolvendo o relacionamento dos irmãos.

Vale muito a pena assistir esse lindo filme.

 

Flávia S. Nogueira Ward