[Review] Essa Gata é um Cão

Marcio Andrade/ setembro 30, 2017/ Livros, Reviews/ 0 comentários

Certo, meus caros amigos. Hoje lhes trago uma resenha que aposto que as pessoas que me conhecem vão perguntar o que há de errado comigo, pois não conhecem meu lado mais gentil. Piadas a parte, mas algo que sou muito fã é de animais, seja cachorros ou gatos (em especial os felinos), se já não basta cuidar dos meus gatos Houdine e Lilico que são verdadeiros pestinhas quando bem entendem. Mas a ideia que pretendo passar aqui nesta resenha não é apenas de adoção, mas sim de uma obra de um camarada que conheci no Facebook chamado Reinaldo Costa Ribeiro no seu livro que está disponível pela Amazon.

Caros amigos, gostaria de mostrar a vocês a resenha de ESSA GATA É UM CÃO.

Uma coisa que aprecio muito em histórias são as capacidades de mexer com nossas emoções. Uma boa trama certamente deixa qualquer leitor de coração cheio e algo que tenho notado nos dias de hoje é a ausência de livros infantis que nos tragam alguma mensagem. Estamos esquecendo de passar nossas fabulas e gentileza para crianças que estão se aventurando muito mais em eletrônicos do que em livros. Vejo muitos pais ainda trazendo os livros e quadrinhos para seus filhos pequenos, mas aqueles momentos em que um pai está lendo para um filho com toda certeza é algo que é único não vida de alguém. – Se você se lembrou realmente de seus pais lendo uma história para você, meus mais sinceros parabéns. Você teve uma base incrível!

E outra parte que muitos dos pequenos ainda não tem tido tanto contato foi com animais, isso é algo que realmente mexe com a estrutura de uma família. E pela sagacidade de Reinaldo em ter feito a dedicatória escrita assim: “Este livro é dedicado à minha família e a todas as pessoas que adotam animais de rua”, já merece meus mais sinceros parabéns.

Agora vamos ver um pouco mais da sinopse do livro:

“ESSA GATA É UM CÃO conta as aventuras de Pretinha Jackson, uma pequena gata negra de olhos esverdeados que, ao chegar de forma misteriosa na fazenda de seu Augusto e dona Penélope, conquista o casal, todas as crianças que moram ali perto e, em especial, Seu Toninho, um senhor com a fama de não gostar de gatos. No entanto, quando os três filhos de Seu Augusto e Dona Penélope resolvem voltar para casa, fugidos do temido Celestino Cachorrão, Pretinha se une às crianças Letícia (a menina sem os dentes de leite), Amapola (a gordinha dos cabelos encaracolados e pele da cor de caramelo) e Rafael (o menino dos joelhos ralados e das orelhas avantajadas) para dar uma lição nos três irmãos que a querem longe dali. A partir de então, os covardes e medrosos Miraldo, Catarina e Estevão travarão uma batalha contra a valente Pretinha Jackson e sua turma de crianças espertas, resultando numa aventura que fará os leitores rirem e se emocionarem por sete vidas. E, nesta batalha cômica em que todos enfrentam de cães ferozes a assombração, em que tomam de banho de xixi a banho de lama, em que ganham dor de barriga ou perdem os dentes, esses personagens nos revelarão o quanto podemos ser semelhantes a um gato nos seus defeitos e qualidades e nos nossos relacionamentos entre pais e filhos. No mais, eles também nos ensinarão nesta divertida história os caminhos da redenção, do amor e da união que só se encontram em uma família. “

Agora falemos um pouco mais da obra de maneira mais objetiva e direta. A história começa com um casal de idosos que encontram uma pobre gatinha na porta de sua casa numa fazenda, a pobrezinha está doente e sozinha e logo toca o gentil coração dessas pessoas que decidem adotar a bichinha que ganha o nome de Pretinha Jackson. Um fato curioso é que a gatinha não apenas conquista o coração desse casal, assim como conquista o coração das crianças do sitio vizinho e de um senhor que nunca gostou de gatos e veio a passar suas tardes tomando leite com biscoitos com o mesmo animal que antes tinha antipatia.

Também temos fatores legais como os filhos do casal de idosos que voltam a fazenda após terem levado o negócio dado pelo pai com tanto sofrimento a falência por má administração e quererem levar um estilo de vida de luxo sem trabalho duro. Os três irmãos estão em fuga de um estelionatário que tem uma dívida com todos eles. O engraçado que assim que chegam na fazenda dos pais, eles veem Pretinha e logo espantam a gata de seu repouso sob uma arvore por acharem que a mesma fazia parte de uma macumba (desde quando fazem isso com gatos pretos?). Não preciso dizer que com isso fica decretada uma guerra entre a gatinha sagaz e os irmãos.

O interessante da história, além da simplicidade, é o jeito como aos poucos a gatinha vai ganhando o coração de cada um dos personagens e nos leva a refletir que já estamos tão acostumados com histórias fictícias e fantasiosas que esquecemos de coisas simples na nossa rotina que pode soar tão magico se escrito. Como escritor também vejo essa magia da realidade algo extremamente lindo de ser escrito e foi exatamente isso que Reinaldo conseguiu nessa simples e cativante história.

Agora vamos a um depoimento do próprio autor sobre seu livro e uma coisa bem interessante nessa resenha, foi que eu fiz uma pergunta ao autor do livro: Por que essa obra vale a pena ser lida?

E aqui temos a resposta: “Permita que um dos personagens deste livro responda a essa pergunta. O nome dele é seu Toninho. No início da narrativa, você o conhecerá como “o homem que odiava os gatos”. Mas isso acabará quando tal personagem conhecer a Pretinha Jackson. E ele, em um determinado momento da história, diz: “Quando Deus mandou essa gata para as nossas vidas, não era porque ela precisava da gente. Era porque a gente precisava dela. Precisávamos dela justamente para sermos mais humanos e menos selvagens”. Este livro nos traz muitas lições. Lições de amizade sincera, de amor, de perdão. Mas o mágico é que, através da inocência, da sensibilidade e do bom coração de algumas crianças, ele busca incitar e exercitar nos leitores o desejo por fazer o bem, com a certeza de que estimulará de maneira natural outras pessoas a também fazê-lo. Num mundo de tantas coisas ruins acontecendo a todo instante, esta história certamente tocará na veia da sensibilidade de quem a ler.”

Tenho que dizer mais alguma coisa a vocês? Vivemos em tempos onde é fácil você deixar a simplicidade de lado e focar apenas no “Extraordinário”. Temos que manter esse espirito infantil dentro de nós mesmos e encarar as coisas de maneira mais simples sem dar atenção a sua complexidade, as vezes isso nos ajuda muito.

Algo bem interessante que posso descrever aqui é outra história que tem uma lição semelhante. Na história em quadrinhos SHAZAM: PODER DA ESPERANÇA nos traz o Shazam (Que para mim ainda é e sempre será o único e verdadeiro Capitão Marvel) em dilemas que mostram que as vezes a visão de uma criança é mais viável ser mantida do que possuir todos os poderes que um super-herói tem para enfrentar.

Às vezes, devemos encarrar as coisas unicamente com um coração gentil e seguir em frente. Pendure sua capa por um momento, meu camarada.

Finalizo essa resenha com um carinho imenso por essa obra que me conseguiu tirar de um mundo onde é fácil enxergar a escuridão de uma maneira como rotineira e deixar pequenas bondades de lado. Realmente ESSA GATA É UM CÃO é um livro perfeito que te fará ver coisas mais simples e relembrar daquelas lições que eram pilares importantes quando éramos crianças. Fica uma excelente dica de leitura para você.