Cuphead: Don’t Deal with the Devil

Marcio Andrade/ novembro 12, 2017/ Game, Reviews/ 0 comentários

 LÁ VAI O XICARA SAGAZ!

Olá, meus caros amigos leitores. Na resenha de hoje iremos ver algo completamente fora do habitual do site, pois se trata de uma resenha voltado a um jogo eletrônico e não a quadrinhos, livros, filmes ou series como eu já havia feito antes. Lembrando até que já fiz uma resenha sobre um projeto musical, então acho que vocês já podem perceber que meu gosto é bem variado nesse tipo de coisa.

A resenha de hoje me traz uma paixão que tenho comigo desde que eu era garoto, essa são os desenhos animados. Mesmo quando criança, gostava de ver alguns que continham mais ação e lutar como Dragon Ball Z, Digimon e afins, mas sempre mantive um carinho imenso pelos Looney Tunes, alguns desenhos mais clássicos da Disney e Pica-Pau para citar poucos exemplos. Esse jogo que vemos aqui agora se trata de uma imensa homenagem aos cartoons originais baseados nas animações de 1930 que eram desenhadas com muito empenho quadro a quadro – Isso significa que cada movimento era feito um desenho novo semelhante aqueles caderninhos que você passa as folhas e pode ver o bonequinho se mover. Esse jogo foi desenvolvido da mesma maneira, o que explica o fato dele começar a ser desenvolvido em 2010 e só ser lançado em setembro desse ano. Senhoras e senhores, lhes apresento: CUPHEAD – DON’T DEAL WITH THE DEVIL.

Mesmo com animações semelhantes a desenhos, uma trilha sonora impecável e um início que lembra bastante aqueles desenhos infantis, Cuphead tem um lado razoavelmente sombrio. A história começa com os irmãos Cuphead e Mugman se perdendo pelos caminhos de sua casa e indo parar no cassino do King Dice. Lá, Cuphead começa a apostar e ganhar bastante dinheiro e isso chamou a atenção do dono do cassino, o diabo em pessoa. Com isso, ele decide fazer uma aposta de tudo ou nade: se Cuphead rolasse os dados e vencesse, ele ganharia o cassino para si… caso perdesse, perderia a própria alma junto a alma de seu irmão.

Mugman sente-se apavorado com a aposta e tenta convencer Cuphead a sair dali, mas já era tarde demais, Cuphead perde e agora os irmãos Xicara perderam suas almas. Apavorados, eles perguntam se há alguma maneira de terem suas almas poupadas e então o diabo faz um acordo com eles. Eles terão até a meia noite do dia seguinte para ir atrás de todos aqueles que também perderam a alma para ele e conseguir o contrato das almas deles.

O jogo é semelhante a jogos como Metal Slug, Contra e Megaman, com um quê de Shadows of Colossus por você praticamente só enfrentar chefes em suas formas com uma dificuldade à la Dark Souls como muitos estão falando por aí (citei isso porque o jogo é bem difícil para os mais impacientes). Você deve enfrentar chefes no decorrer de três mundos onde também há algumas fases chamadas Gun N Run que você deve passar pelas fases e pegar as moedas. As moedas lhe dão a chance de comprar Upgrades que se tratam de tiros novos podendo usar até dois, habilidades novas e ainda tem um mausoléu em cada mundo que te dará poderes especiais.

Cuphead também rende homenagens a personagens clássicos dos cartoons, como o chefe pirata que você poderá facilmente comparar com Brutus e a chefe bailarina num teatro que poderá comparar com Olivia Palito, ambos personagens dos desenhos do Marinheiro Popeye. O chefe Rato que tem um tanque criado numa lata de alumínio que depois é devorado por um gato que faz referência direta a Tom e Jerry (até pelo fato do gato ser cinza) e uma versão mais caixeiro viajante de Gaguinho na loja de Upgrade que você verá no decorrer dos três mundos.

Como já citado, Cuphead é um jogo de que você terá de enfrentar Chefes atrás de Chefes e aprender como cada um ataca e criar contramedidas para enfrenta-los. Você irá falhar e será muitas vezes, eu mesmo acabei de chegar em 100% do jogo com 348 falhas. Mas sua história é bem cativante e os chefes são bem divertidos. Dê uma olhadinha em parte da trilha sonora aqui no vídeo abaixo:

Resumo da Opera, Cuphead é um jogo que tem seu charme por ser bem retro, mas com uma dificuldade que muitos julgaram absurdas por acharem ser um jogo de geração anterior. Ganha muitos pontos pelo zelo que os criadores fizeram e fato curioso que eles arrecadaram bastante por causa dele se tratando de um estúdio independente (isso foi visto apenas em Minecraft e outro jogo que agora não me lembro o nome). Vejam Só os Bonecos Funkos deles que estão sendo vendidos lá fora abaixo:

.

É uma excelente diversão que você terá ao jogar esse jogo alem também de conseguir destravar um modo Preto & Branco se você conseguir passar pelas fases Run N Gun sem atirar um unico tiro. Ele está super-barato na Stream saindo por 20 dólares e você poderá comprar também a versão com a trilha sonora por mais 10 dólares. Uma ótima dica para você que quer se lembrar desses tempos de Cartoons, quer um jogo que te desafie e te divirta e será um ótimo teste para sua paciência.