Y: O Último Homem

Y: O ultimo Homem

Olá, caros leitores e sejam bem-vindos a mais uma das minhas resenhas. Para esse texto escolhi uma obra um tanto inusitada por seu enredo; E que meu autor favorito, Stephen King, citou como a melhor Graphic Novel que já havia lido.

Pensemos num mundo onde tudo correr na perfeita paz, mas em um momento qualquer uma praga invisível cai sobre todo mamífero que possui o Cromossomo Y, deixando extinto todo macho (Homem ou Animal) da face da Terra com exceção de um único cara. Para muitos homens esse seria um desejo, pois poderia ter a mulher que quisesse no mundo… Porém as coisas não são tão simples assim. Certo, estamos então falando da obra escrita por Brian K. Vaughan e contendo arte por Pia Guerra Y: O Último Homem.

A história começa no verão de 2002 com o jovem Yorick Brown que é um artista de escapismo desempregado e seu macaco Ampersand falando com sua noiva Beth sobre o rumo que a relação deles estão levando. Em outra parte do mundo, A geneticista perita Dr. Allison Mann está prestes a dar a luz ao seu próprio clone. E a irmã de Yorick, Hero Brown está ajudando o corpo de bombeiros com seu namorado. Tudo ocorrendo bem até que o grande estouro faz a merda toda feder, homens morrem pode todos os lados, mulheres gravidas perdem seus filhos em seu ventre e nem mesmo os animais resistem a misteriosa praga.

Semanas após o ocorrido, Yorick e seu macaco decide sair finalmente de sua casa onde estava se escondendo e vê o mundo em completo caos. Mercados saqueados – Ironicamente, na história os produtos de beleza acabaram muito antes dos alimentos. –  ainda há centenas de corpos de homens mortos pela rua e uma milícia feminina decidida a exterminar todo o traço masculino do mundo (naturalmente estamos falando dos bancos de espermas, pois são as únicas coisas que sobraram nesse mundo pós-apocalíptico feminino). Yorick sai em busca de sua mãe que é senadora para dizer que ainda está vivo, mas é pego por uma ex-supermodelo que agora ganha a vida recolhendo os corpos de homens num caminhão de lixo.

Yorick consegue chegar a casa branca em busca da mãe e lá conhece a Agente 355, que irá ajudá-lo a encontrar a maior perita ainda viva em genes, Alisson Mann, para poderem salvar a humanidade de uma extensão que se corre para uma contagem regressiva final.

Mesmo a história tendo “um quê” de fim de mundo, ela te rende diversas boas risadas e uma excelente trama. E faz realmente pensar sobre como é ser o último homem num mundo feminino e acreditem em mim, caros leitores: Não seria como se você fosse construir um castelo e ter uma esposa para cada dia do mês.

Algumas curiosidades sobre a série de quadrinhos é que no ano de 2014, o diretor Dan Trachtenberg demonstrou interesse em levar uma adaptação fiel para as telas do cinema, mesmo com alguns nomes cotados para viver os personagens, o projeto foi abandonado. Particularmente, isso me deixa bastante curioso, pois as adaptações da Vertigo no cinema foram bem fieis aos quadrinhos, vide V de Vingança e Watchmen. No ano de 2015, a emissora FX também tinha interesse em fazer uma série televisiva para Y, mas o projeto foi abandonado. Novamente, uma pena, pois a conterrânea PREACHER está com uma puta serie.

Y: o último homem está sendo relançado pela Panini em edições de luxo com capa dura onde as 60 edições da história original vai contar em 5 exemplares contendo excelentes arcos. Costumo dizer que a série é uma espécie de Walking Dead, mas ao invés de zumbis, são mulheres e isso torna a trama muito mais agradável. Você deve dar uma chance para nosso futuro pós-apocalíptico feminino, pois essa é uma das tramas, que muitas vezes simples e muitas vezes complexa, te renderá uma história inteligente, dramática e engraçada.

 

Tags:
  • Sobre as adaptações “bem fieis ao quadrinho” há discussões hauhauh Mas Y o último homem é do caralho mesmo. Foi a primeira HQ em que eu vi que quadrinho não era só de super-herói e que abriu caminho pra outros títulos da Vertigo que eu não conhecia.
    Um ponto bem legal do quadrinho é que ele é bem rápido de ler e não tem como parar depois de ler a primeira edição haha É do caralho como o Brian K Vaughan apresenta aquele universo pra vc.
    Obrigado por espalhar a palavra desse quadrinho maravilhoso!

    • Marcio Andrade

      Que isso, meu caro. Fico feliz que compartilhe dessa opinião também sobre a série. A saga tem uma história rápida sim, e você consegue ler logo num final de semana apenas, se assim quiser.
      A Vertigo tem selos muito bons, vide Hellblazer, Fábulas, 100 Balas e o Magistral Sandman. Todos eles sem se tratar de ser super-heróis. Mas acredito que uma adaptação para a TV desses Quadrinhos poderiam ser boas, pois alguns do selo Vertigo tem boas adaptações (exemplo: Constantine e Preacher), mas também podemos acabar com algo um pouco mais comercial e estragar as coisas (vide Lúcifer, que tem uma das melhores tramas que já li nos quadrinhos, mas a série é no máximo razoável).