The Pyramid at the End of the World – Review do sétimo episódio de Doctor Who

Preparado para os spoilers????

Já no início do episódio uma coisa ficou bem clara pra mim, que eu tinha minhas dúvidas no episódio anterior, toda a parte do episódio que fala do Veritas foi dentro da simulação, somente quando o Doctor estava na frente do cofre relembrando o que aconteceu com a Missy é que se passa na realidade. E ele contou tudo da simulação para a Bill.

Agora uma coisa muito séria, eu não queria ter esse Doctor como amigo não, caracas, segunda vez que a Bill tem um primeiro encontro com a Penny e a segunda vez que o Doctor estraga esse primeiro encontro. Tá, dessa vez não foi de maneira direta, mas só o fato dele ser turrão já faz com que o encontro seja estragado.

E quando o Secretário Geral da ONU chega na sala eu só consegui gritar uma coisa “CADE A UNIT????” Moffat, por que a UNIT não está metida nessa confusão???? Será que a Jemma Redgrave não quis participar dessa vez? Procurei pra ver se achava algo sobre isso mas não vi nada. E sinceramente a UNIT fez muita falta no episódio. Tá bom que ela seria só mais uma força militar ali no meio e a Inglaterra não tem lá muita relevância geopolítica no cenário atual, mas gostaria muito mesmo de ver a Kate Lethbridge-Stewart lidando com os monges.

Óbvio que pelo nome do episódio e pelo Next Time da semana passada já tínhamos uma ideia de que a pirâmide estava em um local que não deveria. E ela está no país fictício do Turmezistão, que já havia sido mostrado em  The Zygon Invasion, entre 3 exércitos que provavelmente estão se preparando pra alguma guerra. Acho que a única parte aqui que se mostra relevante é o fato do episódio se passar no Turmezistão, porque eu adoro as referências internas de Doctor Who.

Mais uma vez o episódio está em dois planos, o problema da pirâmide e o que se passa no laboratório, que pra mim foi um mistério até eles falarem com todas as letras o que se passava ali (sim, eu sou muito lerda as vezes, quase na maioria das vezes, mas não contem pra ninguém). E antes que eu me esqueça, ERICA PRA COMPANION!!! Amei a personagem dela, corajosa, forte, daria uma ótima companion.

E continua a minha dúvida, como a Bill é tão esperta e não consegue perceber que o Doctor está cego, sério, acho que ela que tá mais cega ai, não sei se é porque sabemos da cegueira dele, mas, pra mim, ele faz umas coisas tão óbvias, como fazer o Nardole relatar pra ele o que está acontecendo quando ele vai entrar na pirâmide, que fica difícil aceitar que a Bill ainda não sacou.

Os monges deixam claro que vão colocar o mundo em perigo para que a população peça ajuda para eles e obviamente como a pirâmide está no meio de três tropas, são elas que vão causar o problema. O sinal do fim do mundo é o Downsday Clock, que vai parar nos relógios de todas as pessoas do mundo. E mesmo depois do Doctor intermediar a paz entre esses três exércitos nada muda no relógio.

Daí em diante o episódio é uma corrida contra o tempo para descobrir o que é que irá causar o fim do mundo e parar esse fim de mundo, antes de ter que pedir ajuda para os monges. Os monges falam que somente um consentimento por amor será efetivo para que eles dominem o mundo. O Secretário Geral tenta consentir e vira pó, os generais dos três exércitos tentam consentir e viram pó também. A espada está no pescoço da humanidade mas o Doctor não desiste de buscar uma solução para não pedir a ajuda dos monges e não submeter o planeta ao domínio deles. E é só quando o Doctor tá realmente descobrindo o que vai causar o fim do mundo que eu entendi o porquê daquelas cenas no laboratório (não vale xingar, já falei que sou lerda).

Aí o alívio né, pronto, o Doctor vai novamente salvar o mundo com seu plano mirabolante. Corre com a TARDIS e o Nardole pro laboratório e descobre que a única solução é explodir tudo. Super fácil pro Doctor e ele fica de papo com a Bill, que ficou lá na pirâmide, pra ela controlar os babacas dos generais, o que não funciona mundo né, já que eles morrem. Quando falta pouco mais de um minuto pra bomba explodir descobrimos que o Doctor está preso no laboratório e ele só precisa da visão pra poder sair de lá, e claro o Nardole está desmaiado na TARDIS, semi morto. Ferrou, o que parecia tão fácil, em questão de segundo deixa de ser. Que droga! Nesse momento o Doctor fala com a Bill e confessa que está cego e preso no laboratório. Grrrrrrrrr! Só agora Bill??? Sério? E gente, esses dois nunca ouviram falar de facetime?? Era só ele ligar a câmera e ela do celular dela veria os números e ajudaria ele. Nem parece que o episódio se passa no século XXI. Me deu muita raiva mesmo, mas sabemos que isso é necessário para o encerramento do arco na próxima semana.

Mas alguns questionamentos ficaram, será que se a bomba explodisse com o Doctor dentro da sala ele iria regenerar? Será que se a Bill soubesse da regeneração ela iria dar o consentimento para os monges? E a TARDIS só aciona uns protocolos de segurança quando é do interesse dela né, de vez em quando ela quer mais é ver o circo pegar fogo. Custava ter ligado um exaustor pra eliminar a bactéria e fazer o Nardole acordar pra ajudar o Doctor??

Antes de encerrar tenho só mais uma coisa, mas isso é um super spoiler do próximo episódio, então se você não quer saber pode parar por aqui e ir ouvir o Corta que tá bom demais.

.

.

.

.

.

.

.

Enquanto eu procurava a imagem que ilustra esse post eu vi a foto da regeneração que aparece no trailer da temporada e quando eu comparei com o Next Time, buuummmmm (esse foi meu cérebro explodindo), a cena é desse episódio (onde estão os emojis quando eu preciso deles???)!! Caracas, mas como assim?? O próximo Doctor nem foi anunciado, provavelmente só no fim da temporada (pra gente ficar doidos até o episódio de Natal) e nem temos a “mãozinha” do Tennant pra ele se regenerar e ficar com o mesmo corpo. Olha esse episódio me trouxe mais perguntas que respostas, mas eu to gostando demais!

Então até semana que vem com a Bill atirando no Doctor!

Allons-y