The Eaters of Light – Review do décimo episódio de Doctor Who

Teremos spoilers, mas isso vocês já sabem né!

Estou um pouco muito atrasada e  peço desculpas.

Mas vamos lá.

O mote de toda essa temporada tem sido muito político, tentando desconstruir preconceitos e esse episódio não fica de fora, usando a desculpa do desaparecimento da Nona Legião Romana, eles trazem a tona discussões sobre disputas territoriais e amor, o que vem sendo incrível nessa temporada, apesar dos episódios mornos e sem muita ligação entre eles (desculpa, mas o Moffat acostumou a gente muito mal com a 9ª temporada).

Nardole tá novamente excelente nesse episódio. De babá chata do Doctor, ele passou a um alívio cômico bom demais. Não sei dizer se é a expressão corporal, se é a voz, mas o Nardole me dá vontade de rir todo o tempo.

E a Bill que parece super inteligente só agora no 10º episódio é que percebe que a Tardis faz uma “tradução” de tudo. Sério mesmo Moffat??? Caramba, vocês já foram melhores, de verdade. São essas coisas pequenas que estão me incomodando na temporada. São coisas bestas, que com outras companions foram resolvidas logo nos primeiros episódios. E se a Bill não irá ficar na próxima temporada é um desperdício de tempo ficar nessa enrolação.

Descobrimos o que aconteceu com a Nona Legião, que de agora em diante será a versão verdadeira pra mim, e descobrimos que há um monstro exterminando os soldados. Mas também vemos que uma parte bem pequena dela conseguiu sobreviver ao tal monstro, e que, diferente do que dizem os mitos sobre a bravura da Nona, morrem de medo do tal monstro. Medo que eu também teria né, afinal o monstro destruiu uma legião romana inteira, sem dó nem piedade, e uma legião que contava com mais de 5 mil soldados.

O Doctor se deixa levar por um bando de Picsos, povo que ocupa a Escócia no período, para descobrir o paradeiro da Bill e se vê cercado por jovens. Descobre que os mais velhos provavelmente foram mortos pelos romanos e que os Picsos tem alguma “arma” que foi a responsável pela morte dos romanos. E temos a melhor sequencia do episódio que é o Doctor jogando o milho de pipoca na fogueira, chorei de rir.

Vemos que a ameaça do “devorador de luz” é mais séria do que se imagina, pois há vários no portal, só esperando a chance de passar e eu me pergunto do porquê eles não passaram, já que o portal abria de tempos em tempos. Bem estranho mesmo.

E o melhor diálogo acontece na cena seguinte entre a Bill e o soldado romano Lucius e você percebe que em questão de sexualidade os romanos estavam a anos luz na nossa frente. A naturalidade que a homossexualidade da Bill é tratada soa como um tapa na cara da nossa sociedade. Fica absolutamente normal gostar de pessoas e não de gêneros e por isso eu amo Doctor Who, porque mesmo o episódio sendo morno, mesmo que ele não nos leve a lugar nenhum na temporada, ainda sim tem algo que acrescenta na nossa vida.

Aí seguimos no lenga, lenga quase que sem fim, só não é sem fim porque graças a Odin o episódio tem que acabar, Bill de um lado convencendo os romanos, Doctor de outro convencendo os Picsos de derrotar o monstro que pode resolver “comer” todo o planeta. Claro que quando os dois grupos se juntam tem treta né, como sempre humanos idiotas brigando por coisa boba em vez de se unir pra derrotar o mal maior. E em mais um dos seus discursos maravilindos, o Doctor consegue juntar todos e claro que eles derrotam o monstro. E eu vi ai nessa conclusão um Doctor suicida, não sei se no inconciente dele há algo que o faz lembrar da Clara, se ele tá de saco cheio, não dá pra entender o que é, só sei que ele tá meio “vida loka”, ainda bem que ninguém deixa ele fazer o que ele queria.

O episódio termina com uma revelação que quase me derrubou do sofá, a Missy está dentro da Tardis. Fiquei com os sentimentos entre o que o Nardole sentia e o que a Bill sentia, foi chocante demais, mas ao mesmo tempo consegui perceber que o Doctor quer é ensinar algo a Missy, algo que ele chama de ouvir a música.

Os próximos episódios já são a sesson finale e com isso aproxima-se o fim da era Capaldi, esses serão os dois últimos episódios regulares dele e depois só o especial de natal com a regeneração.

Allons-y