Jurassic Park – Nova edição do livro

Se você, como eu, não sabia que a famosa série de filmes surgiu de um livro, SURPRESA! ela surgiu. O escritor Michael Crichton foi se interessar pela ideia de se clonar um dinossauro a partir da obtenção de seu DNA em 1983. A partir daí, ele começou a esboçar um roteiro do que viria a se tornar a história que originou o primeiro filme, lançado em 1993 pela direção de Steven Spielberg.

Quando era bem pequeno e assisti o filme pela primeira vez virei um grande fã. Mesmo não compreendendo a história na íntegra, me encantei pela realidade distópica onde humanos e dinos coexistem. Sendo assim, pode-se imaginar o deslumbramento nostálgico que senti ao ler o livro, lançado em uma bela nova edição pela editora Aleph no final de 2015.

Lendo, descobrimos logo que a adaptação foi muito boa. A história se passa em 1989 e segue a mesma linha do filme, com personagens e acontecimentos semelhantes em sua linha cronológica. Entretanto a abrangência é muito mais densa e grandes temas científicos como Teoria do Caos, Equações Lineares e Não Lineares, clonagem e toda ética e moral por detrás dela são abordados. Há muitos diálogos entre os personagens debatendo sobre esses quesitos, o que nos leva a questionar os perigos e os encantos da tão “impossível” possibilidade de trazer os dinossauros de volta a vida e coloca-los à exposição num gigantesco zoológico pré-histórico.

É bom ter na mente que trata-se de um livro com mais de 20 anos, então algum detalhe ou outro obviamente já foi refutado ou repensado, mas nem por isso toda a ciência perde seu tom de credibilidade. Os tons que dão imersão e solidez a toda teoria do ressurgimento dos dinos são bem explicados: é descrito desde a criação da companhia de engenharia genética InGen (que trouxe tal tecnologia) a todo funcionamento estrutural do parque.

Essa edição do livro conta no final com um uma entrevista concedida por Crichton à revista Cinefantastique, às vesperas do lançamento do filme, contando sobre detalhes da adaptação e um posfácio preparado especialmente para o público brasileiro pelo jornalista e crítico do site Omelete, Marcelo Hessel. Mesmo contando com algumas partes um tanto repetitivas, a meu ver o livro é uma excelente leitura indicada em essência para os fãs da série (encontramos várias referências que claramente foram aproveitadas no novo filme Jurassic World), e também a todos que apreciam um bom thriller científico.

Título: Jurassic Park Título original: Jurassic Park Autor: Michael Crichton Editora: Aleph Gênero: Ficção científica norte-americana Páginas: 525