It – A Coisa: O Filme

Marcio Andrade/ setembro 12, 2017/ Filmes, Reviews/ 0 comentários

 

Antes de começar a ler esta resenha, leia a resenha referente ao livro: http://www.ofilmante.com.br/it-a-coisa/

Que as pessoas aqui já sabem que sou um grande fã do Stephen King, isso já ficou bem claro. E que tivemos algumas ótimas adaptações nos últimos meses de suas obras, isso também é outro fato incontestável. Originalmente faria uma resenha sobre o filme A Torre Negra, que infelizmente não tem saído muito bem nas críticas, mas como posso utilizar uma frase dita por Frank Zappa ao falar de críticos: “O CRÍTICO DE ROCK É ALGUÉM QUE NÃO SABE ESCREVER, ENTREVISTANDO GENTE QUE NÃO SABE FALAR, PARA GENTE QUE NÃO SABE LER.”

Primeiro, Torre Negra não é um Senhor dos Anéis que já tem um início muito bom e cheio de ações e você tem que ser fã das obras do King para entender as muitas referências que esse filme traz, dentre elas: os destroços do circo de Pennywise, que segundo o próprio palhaço, este mesmo foi arrastado pela tempestade que o jogou no esgoto.

Agora vamos falar sobre o filme em si. Falando como alguém que tinha lido o livro – Como muitas pessoas estão fazendo ultimamente, como já venho notando. – Eu fiquei procurando alguns pontos onde eram iguais ao livro e onde realmente ficou faltando. Naturalmente, cenas onde um garoto masturba o outro ou o sexo grupal entre o clube dos otários seria algo que deixaria muitas pessoas de boca aberta nas sessões (em especial essa raça de estudantes que ficam enchendo a paciência nas sessões falando besteira e gritando – Sim, eu gritei com alguns durante a sessão ontem… por favor, não me culpem), mas essas cenas trazem momentos importantes no livro.

It, a Coisa é uma história que não teria como inventar uma coisa absurdamente diferente da história original e como muitos, eu fui pego de surpresa ao descobrir que o filme seria dividido em duas partes, como o próprio já citado Torre Negra foi um filme muito curto, eu fiquei temendo que isso viesse a acontecer neste filme e deixarem uma adaptação não focando em detalhes que poderiam ser muito importantes. Fora o fato de que algumas coisas que no livro foram explicadas mais rápido e no filme houve uma demora a ser explicada, como exemplo do “clube dos otários” que demorou a um tempinho a ser dito ali.

Agora vamos falar dos pontos excelentes do filme. Mesmo que na descrição do palhaço Pennywise fosse uma mistura de Bozo com Ronald McDonald, este novo palhaço realmente traz originalidade ao personagem, bem como a boca cheia de dentes bem monstruosa como esperado pelos efeitos de hoje em dia. Outro ponto positivo do Pennywise é a performance que o palhaço tem, soando realmente como um verdadeiro louco e você pode ver um quê de Coringa na parte onde Pennywise está em cima de Eddie e se vira rapidamente para Bill e Richie.

A escolha dos garotos e garota para fazerem o clube dos otários está realmente bem fiel ao descrito por King, o garoto Gordinho como Ben, o asmático que vive reclamando como Eddie, os garotos maus que vivem perseguindo o clube como Arroto e Henry. E em especial podemos colocar as escolhas de Bev, Richie e Bill que para mim foram os melhores dentre eles (E as tiradas do Richie foram bastante engraçadas no decorrer da história, mesmo que ele não fizesse as imitações que era marca registrada do personagem).

Outros momentos importantes que ficaram muito bem descritos na adaptação cinematografia é a guerra de pedras entre os otários que salvaram Mike e Henry e sua turma, as outras personificações de Pennywise como o Leproso e a mulher da pintura, e a cena do banheiro onde Bev ouve a voz de uma das meninas desaparecidas vinda do ralo da pia e o sangue que vem a seguir.

Naturalmente, não temos como não escapar da comparação de It com a série Strange Things, por ser tratar de um grupo de crianças que tem que solucionar um mistério sobrenatural. Mas qualquer bom leitor de King perceber as grandes influencias que a serie utilizou na criação de sua trama. Por favor, não vá ao cinema e saia de lá dizendo que o filme é uma cópia de Strange Things se a própria serie é baseada nas obras do King. Fica a dica para não irritar nenhum leitor!

Para finalizar, eu já acredito estar falando de um dos melhores filmes do ano. Ele consegue te assustar e te divertir mesmo, muitos que já assistiram ao filme estão falando isso e mesmo que vocês que leram o livro e vão para lá ficar comparando quais pontos ficaram iguais e quais não ficaram, também reconheceram que essa foi uma adaptação de muito bom gosto para a obra, soando como uma excelente versão alternativa por assim dizer para a história de quando o clube dos otários eram crianças e certamente deixou um gostinho de querer ver logo a sequência, que por não ter mais tantas crianças e não ser mais infantil, poder explorar mais algumas questões mais sombrias.

Ontem a noite, o próprio Stephen King postou em sua pagina do Facebook a frase: “Don’t want to wait for Part 2 of IT, the movie? You can always read IT, the book. Just sayin‘”.

Então, se não quiserem esperar a parte dois, leiam o livro! A conclusão dele é bem interessante e traz uma ótima mensagem.