Análise: Os Suspeitos

Titulo: Os Suspeitos

Titulo Original: Prisoners

Estréia: 18 de Outubro de 2013

Direção: Denis Villeneuve

Gênero: Suspense

Duração: 2h33min

Elenco: Hugh Jackman (Keller Dover) | Jake Gyllenhaal (Loki) | Viola Davis (Nancy Birch) | Maria Bello (Grace Dover) | Terrence Howard (Franklin Birch) | Melissa Leo (Holly Jones) | Paul Dano (Alex Jones) | Dylan Minnette (Ralph Dover) | Zoe Borde (Eliza Birch) | Erin Gerasimovich  (Anna Dover) | Kyla Drew Simmons (Joy Birch) | Wayne Duvall (Capitão Richard O’Malley) | Len Cariou (Padre Patrick Dunn) | David Dastmalchian (Bob Taylor) | Jeff Pope (Elliot Milland).

“Os suspeitos” possui uma história eletrizante e cheia de reviravoltas, onde nada é o que parece. A história se passa na Pensilvânia, e é centrada no rapto de duas crianças, cujos pais são vizinhos e amigos, e no detetive responsável pela investigação que, com esse caso, fica no limite entre seus problemas pessoais e a procura pelas meninas. O filme traz muitos mistérios e uma série de conflitos, focando nas transformações dos personagens pela dor, e a forma com que cada um lida com ela.

Todos os envolvidos com o desaparecimento das meninas são obrigados, de alguma forma, a encarar seus demônios. Com momentos em que o desespero pode te arrastar para o fundo do poço, ou te levar a ultrapassar a tênue linha entre o certo e o errado, somos levados a refletir sobre até onde um pai pode chegar na tentativa de fazer o melhor por sua família, mesmo que isso vá contra tudo que acredita, e as consequências desses atos.

Minhas impressões:

Quem gosta de suspense e muitas reviravoltas com certeza vai amar esse filme. Ele apresenta uma história muito profunda que, conforme vai se desenrolando, mostra muitos aspectos da personalidade humana. Além disso, a atuação do elenco não é nada menos do que perfeita.

O principal suspeito do rapto das crianças é Alex Jones (Paul Dano), um garoto com sérios problemas onde, em vários momentos ao longo do filme, nos deixa na dúvida sobre sua culpa. Ao mesmo tempo em que outros suspeitos surgem e desaparecem, nenhum parece ser tão culpado e ao mesmo tempo tão inocente quanto ele.

Conforme o tempo vai passando e não se tem notícias das meninas vamos vendo o desespero tomar conta de todos. Cada um lida com isso de uma forma. E é nesse ponto que começamos a perceber até que ponto a dor e o desespero podem fazer com que nos transformemos.

O enredo te prende do inicio ao fim. Quando acha que já sabe o que vai acontecer, tudo muda, e percebe que ainda está longe de descobrir o que realmente aconteceu, ou o que vai acontecer.

O final é surpreendente, e devo confessar que apesar de ter amado e de podermos imaginar o que houve com certo personagem, gostaria que isso tivesse ficado mais bem definido, pois imaginar se isso ou aquilo aconteceu acaba comigo.

Trailer:

Já viu o filme? Conte-nos o que achou nos comentários!

 

%d blogueiros gostam disto: