A Grande Muralha

A Grande Muralha

Matt Damon, o embaixador da amizade da China e EUA

Nesta trama de ficção/histórica conta a uma das lendas da Grande Muralha da China, o filme começa com William (Matt Damon) e Tovar (Pedro Pascal) sendo perseguidos por (por alguns inimigos que  parecem ser Mongóis, mas o filme não deixa claro) inimigos que acabam os levando a grande muralha, onde eles ouviram falar sobre o pó negro ou seja, pólvora, os dois então são levados aos lideres que dizem ser proibido a saída de qualquer um daquele local porque o mundo não pode saber dos segredos ali, o filme não demora muito a colocar Matt Damon e seu arco e flecha em ação, parecendo um Robin Hood com esteroides, as cenas de ação são boas, lembram os filmes de ação chineses onde todos voam, no entanto não empolgam tanto quanto deveriam.

Os monstros do filme chamados de Tao Tei tem uma certa semelhança aos monstros do universo Hellboy do diretor Guilhermo Del Toro, que ao mesmo tempo parecem assustadores mas não há muita personalidade ou diferença neles e o clássico plot de
“mate a rainha e todos caíram” o que funciona como esperado, o filme poderia ter explorado mais o inimigo ou dar alguma explicação a mais do que a é dada no filme.

A relação de William e Tovar mostra que os dois são amigos á muito tempo, e já conhecem os seus estilos de batalha e mostram sincronia em combate, William tem um interesse amoroso pela Comandante Lin Mae (Tian Ling) que é desnecessário, e fala muito sobre confiança, um sempre falando pro outro que são parecidos, claramente mostrando o interesse dos Estados Unidos e China de se aproximarem assim como Disney fez quando veio ao Brasil em 1941 para aproximar os dois países para uma aliança, temos o jovem Comandande Wu (Eddie Peng) mas nunca é realmente explorado. A participação de Willem Dafoe como Ballard está lá literalmente como desculpa para alguns personagens chineses falaram inglês, porque a trama dele é totalmente desnecessária e poderiam ter usado o tempo de tela para desenvolver outros personagens.

A direção de  Yimou Zhang (O Clã Das Adagas Voadoras) é boa enquanto a ação está acontecendo, muito criativo no uso da muralha transformando-a em uma arma de defesa, no entanto muitas vezes parece simplesmente bobo, e apesar de usar as cores das armaduras para definir quem é de qual pelotão o filme só explica mesmo que os azuis são apenas mulheres, que pulam com lanças numa espécie de bangee jumping para atacar os Tao Tei, os arqueiros sãos os vermelhos e fica por isso mesmo, mas no fim das contas pareceram mesmo um exercito de Power Rangers, e também não posso esquecer de mencionar o momento em que Tovar usa uma manta vermelha pra atrair um Tao Tei igual à um touro, porque ele é espanhol, (entendeu, hã hã?!) (Apesar do ator ser Chileno, mas enfim).  Mas devo enfatizar a qualidade de outras cenas como a luta na neblina em que eles se localizam pelo som dos Tao Tei.

O segundo ato do filme coloca as dúvidas de William sobre o que fazer ser ganancioso assim como os Tao Tei ou lutar por uma causa, enquanto Tovar e Ballard tentam fugir com a pólvora jogando praticamente fora os personagens do terceiro ato, o que pareceu muito estranho, talvez fora uma tentativa de mostrar que o crime não compensa, mas mesmo assim soou estranho já que Tovar tinha muito entrosamento na batalha e talvez até o colocasse para ter uma evolução no personagem mas não, simplesmente ele é colocado na cadeia e fica por lá.

O terceiro ato do filme se resume a luta final para salvar toda humanidade, que é até bem feita, apesar de parecer muito estranho ter defesas na muralha e quase nenhuma na cidade principal onde fica o Imperador, e forçam os soldados da muralha a usarem balões para chegarem até a cidade para tentar um ultimo ataque para matar a rainha.

Resumo:

A Grande Muralha é um filme que mais parece servir de uma espécie de aproximação entre a China e EUA, e Matt Damon parece ser o embaixador já também mostra uma aproximação em Perdido em Marte. No entanto o filme é divertido como uma aventura/ação com problemas no desenvolvimento dos personagens e história e direção que oscila entre boa e ruim em vários momentos.  (Ah, por favor meninos e meninas, a grande muralha não tinha tudo aquilo de armas e catapultas, ou laminas nas paredes, enfim, não leve como um filme de história, por favor rs).

NOTA 6/10

 

  • Mariel F. Fernandes

    Saí bem decepcionado do filme, justamente pela crítica que você faz.

    • Gustavo Calastro

      Infelizmente né Mariel, a expectativa é sempre de ver um bom filme. Obrigado pelo comentário.

  • Igor Pineli

    Boa crítica, a minha vontade de ver esse filme só diminui por conta desses pontos hahaha

    • Gustavo Calastro

      Valeu Igor, dá pra esperar sair num netflix kkkkkkk

%d blogueiros gostam disto: